Custos fixos de uma empresa: como fazer o cálculo (+DICAS)

Custos fixos de uma empresa: como fazer o cálculo (+DICAS)

Custos fixos de uma empresa

Saber os custos fixos de uma empresa é extremamente importante para manter o negócio competitivo e gerar lucros.

No entanto, muitos gestores ignoram a relevância dessa etapa na administração da companhia ou confundem esses valores com outros gastos. 

Essa atitude pode causar uma série de transtornos, embaralhar as contas e prejudicar investimentos.

E adivinhe a qual profissional isso interessa, podendo ele fazer do problema uma oportunidade para mostrar o valor do seu serviço? Sim, é o contador.

Para saber como ajudar seu cliente, siga a leitura e saiba tudo sobre os custos fixos de uma empresa e como calculá-los.

O que são os custos fixos de uma empresa?

Os custos fixos são os valores que se relacionam diretamente com a operação principal da empresa.

Pode ser com a prestação do serviço ou com a fabricação do produto comercializado, sendo que eles não têm variação no faturamento.

Ou seja, é um gasto que se mantém o mesmo, independentemente do que a companhia produz ou executa, mês após mês.

Entre os custos fixos, é possível citar:

A importância de calcular o custo fixo de uma empresa

A importância de calcular o custo fixo de uma empresa

Conhecer os custos fixos de uma empresa é essencial para saber a real situação financeira de um negócio.

A partir desse valor, é possível vislumbrar os ganhos que a companhia obtém ou o quanto ela precisa crescer para que seja, de fato, lucrativa.

É muito comum que gestores pensem que a organização está em boa condição quando há bom faturamento.

O problema é que olhar só para as receitas não é suficiente – na verdade, a empresa pode estar apenas conseguindo quitar suas despesas.

Isso não é o ideal, porque não a prepara para momentos de crise e até mesmo para um crescimento de mercado.

Logo, conhecer os custos fixos, registrá-los no balancete e criar estratégias a respeito deles é indispensável, como mostro a seguir.

Base para elaboração de planos estratégicos para diminuição de despesas

Os custos fixos formam uma base para planejamentos estratégicos, porque, sabendo o valor real que a empresa demanda para operar, é possível considerar o lucro necessário para mantê-la competitiva.

Além disso, esse cálculo torna a gestão mais realista e, com isso, fica mais fácil avaliar a probabilidade de otimizar os custos, assim como analisar se eles realmente são indispensáveis.

Também é possível saber se eles estão sendo geridos de maneira inteligente.

Por exemplo, talvez você esteja pagando um aluguel muito alto em um local que pode ser trocado por outro mais rentável.

Desse modo, essa economia pode ser revertida para lucros da companhia ou para melhorar a infraestrutura, por exemplo.

Ter subsídios reais para que seja definido um preço final

Essa questão é importante para definir o custo do produto ou serviço.

Para tal, é necessário avaliar as possibilidades financeiras da organização, bem como a situação do mercado.

Obviamente, fica inviável colocar um preço muito alto, uma vez que isso afastaria os consumidores.

No entanto, atribuir um valor abaixo da média sem considerar a necessidade de investimento na operação pode falir um negócio.

Por isso, é preciso sempre tomar como base os custos fixos para elaborar o planejamento estratégico.

Como calcular o custo fixo de uma empresa?

Para calcular o custo fixo, é preciso considerar o total e o médio, como detalho a seguir. 

Dessa forma, fica mais simples definir o valor de seus produtos ou serviços de maneira efetiva.

Custo fixo total

Para fazer esse cálculo, liste quais são os custos fixos da companhia e faça a soma.

O resultado vai demonstrar o valor fixo que será gerado a cada mês pela empresa.

É preciso ter cuidado para não incluir custos variáveis (que não são os mesmos mensalmente) e gerar um valor pouco confiável.

Custo fixo médio

Já o valor do custo fixo médio é calculado de acordo com cada item produzido.

Ou seja, deve-se somar o valor das despesas fixas e, depois, o de tudo o que foi fabricado.

Por fim, é necessário dividir o custo fixo pelo dos itens produzidos – o resultado é o custo fixo médio.

Dicas para administrar os custos da sua empresa

Dicas para administrar os custos da sua empresa

Você já percebeu que administrar os custos da empresa é fundamental para manter o sucesso e a competitividade.

E alcançar essa gestão estratégica dos recursos não é tão difícil quanto pode parecer: basta ter disciplina e organização.

Acompanhe as dicas que separei para você.

Elas consideram a realidade de um escritório de contabilidade, para que você possa primeiro aplicar no seu negócio e, depois, ajudar seus clientes.

Monte um dashboard

O dashboard é uma ferramenta de gestão da informação.

Seu objetivo é auxiliar no acompanhamento e na exibição de importantes indicadores de performance, métricas e dados que indicam a condição de uma empresa, setor ou processo.

Ou seja, com esse recurso, é possível compreender como está a saúde do seu negócio.

O ponto positivo é que essa ferramenta pode ser customizada de acordo com demandas específicas.

Defina metas de clientes, honorários e resultados

Para traçar um planejamento estratégico a fim de conquistar seus objetivos, o primeiro passo é definir quais são esses objetivos.

Por isso, para otimizar os custos da sua empresa, defina metas de clientes, de honorários e de resultados. 

Depois, acompanhe se as suas estratégias estão gerando o crescimento almejado. 

Lembre-se de sempre atualizar esses dados de forma realista.

Valorize a gestão de custo

A gestão de custo é muito importante para o sucesso de um negócio.

Logo, valorize-a e trabalhe alinhado a ela, de modo a evitar ao máximo fazer investimentos impulsivos.

Compreenda que sua saúde financeira é a base do negócio e é o que vai fazer com que você se mantenha firme em momentos de crise.

Tenha um detalhamento

A velha regra do fluxo de caixa vale também para você.

Então, detalhe todo capital que entra e sai da empresa.

Dessa forma, você consegue gerir melhor as demandas e enxugar gastos, o que é fundamental para manter os lucros.

Além disso, você pode alocar recursos para otimizar a operação do negócio e conquistar mais mercados.

Quando os valores não são detalhados, fica muito complexo organizar a vida financeira da empresa.

Afinal, qual é a diferença de custo fixo x custo variável?

diferença de custo fixo x custo variável

Os custos fixos são opostos aos custos variáveis.

Os primeiros não mudam em decorrência da quantidade produzida ou vendida.

Já os variáveis sofrem alteração na mesma proporção da produção e venda da empresa.

Quer um exemplo fácil de compreender?

Se o seu escritório contrata uma recepcionista, ela recebe um salário que não é alterado se você tem 1 ou 10 clientes. Portanto, esse é um custo fixo.

Ao mesmo tempo, seu faturamento dificilmente será o mesmo mês após mês. E se você é optante pelo Simples Nacional, o valor pago em impostos vai variar de acordo com esse faturamento.

Ou seja, é um custo variável.

Conclusão

Como mostrei ao longo deste texto, é simples compreender quais são os custos fixos de uma empresa e utilizá-los como base para um planejamento estratégico.

O que acha de colocar em prática o que aprendeu, qualificar os resultados no seu negócio e ajudar seus clientes a fazerem o mesmo?

Para mais dicas como essas, continue com sua leitura pelo blog da Patrimonium Thinking.

E não deixe de garantir a sua inscrição no curso “Como tornar a contabilidade um negócio extremamente lucrativo” para liderar seu escritório rumo ao sucesso!

Márcio Bento

Contador, CEO da Patrimonium Contabilidade, fundada em 2011. Já atendeu mais de 1.000 clientes em 23 estados, com 15 anos de experiência na área.

Criado e desenvolvido por Olah Comunicação Digital.