Como abrir uma empresa? Saiba estruturar seu negócio hoje! -

Como abrir uma empresa? Saiba estruturar seu negócio hoje!

Como abrir uma empresa

Todo contador precisa saber como abrir uma empresa. E por duas razões.

Tanto pode ele usar esse conhecimento para ajudar clientes em sua jornada empreendedora quanto pode beneficiar a si próprio, iniciando e formalizando o seu escritório.

Se você está querendo ter seu próprio negócio em contabilidade e ainda não sabe como começar, precisa acompanhar as informações que trago neste conteúdo.

Com a experiência de quem começou um escritório na sala da própria casa e hoje está à frente de uma das maiores organizações contábeis do país, explico o passo a passo para empreender na área.

Acompanhe comigo e descubra tudo sobre a abertura de negócios no Brasil.

Como abrir uma empresa? Saiba por onde começar

Será que basta ter uma boa ideia para abrir uma empresa? 

Certamente, esse é o primeiro passo. Mas está longe de ser o único.

É necessário trilhar um caminho com diversas variáveis até ter um negócio de sucesso.

Falo sobre elas nos tópicos a partir de agora.

Defina um modelo de negócios e nome da empresa

Entenda quem é o seu público-alvo, o que ele precisa e como entregar valor a ele. Ou seja, defina o modelo do seu negócio. 

Feito isso, pense em um nome atrativo, marcante e que identifique a sua proposta enquanto empresa.

Escolha o tipo de modalidade que a empresa se encaixa

Agora, vamos a uma parte mais técnica, que você já deve conhecer bem. 

É chegado o momento de escolher a modalidade na qual a empresa vai se encaixar. 

Veja quais são as mais comuns:

MEI

O Microempreendedor Individual (MEI) é um formato com teto anual de faturamento de R$ 81 mil e que permite a contratação de apenas um funcionário. 

Dessa forma, é uma maneira simplificada de abrir uma empresa.

ME

A microempresa (ME) permite um faturamento anual de até R$ 360 mil. 

Antes de o MEI surgir, era o menor formato de negócios no país e, hoje, é um caminho natural para quem inicia como microempreendedor e começa a crescer.

EPP

Já a Empresa de Pequeno Porte (EPP) tem um faturamento máximo de R$ 4,8 milhões por ano.

Ou seja, já estamos falando sobre um perfil de negócio mais robusto.

Médio ou grande porte

As empresas de médio e grande porte não têm um teto específico.

Porém, costuma-se considerar como médio porte aquelas que faturam até R$ 78 milhões ao ano e, a partir disso, como de grande porte.

Você vai entender logo à frente que isso tem a ver com a escolha do regime tributário.

Ao iniciar um escritório contábil, é esperado que você comece como MEI ou ME em razão do faturamento não tão alto.

No entanto, não há obstáculos para que já nasça como uma EPP caso tenha planos maiores.

Identifique e escolha o Regime Jurídico da empresa

Escolhido o tamanho que sua empresa terá, agora, avalie as opções de regime jurídico disponíveis no Brasil:

EI

O Empreendedor Individual (EI) é uma natureza jurídica individual que não separa o patrimônio da pessoa jurídica da física.

Na prática, se a empresa tiver dívidas, o patrimônio pessoal do empresário pode responder por elas.

Por outro lado, é o formato mais prático para iniciar um negócio, sem exigência de capital social mínimo, por exemplo.

Eireli

Assim como a EI, a Empresa Individual de Responsabilidade Limitada é para quem empreende sozinho.

Sua vantagem está na separação dos bens da pessoa física e da jurídica.

Já a desvantagem está na exigência de integralizar o valor equivalente a pelo menos 100 salários mínimos como capital social para dar início ao negócio.

Ou seja, em 2020, sem R$ 104.500 em dinheiro, bens ou direitos, você não abre uma Eireli.

LTDA

A Sociedade Limitada (LTDA) é um modelo tradicional de abertura de empresa entre dois ou mais sócios.

Tem características parecidas com a da Eireli no que diz respeito à separação do patrimônio pessoal dos participantes do negócio das obrigações da pessoa jurídica.

Esses são os regimes jurídicos mais comuns. Mas há outros para iniciar uma empresa, seja individualmente ou em sociedade.

Acompanhe na lista:

  • Sociedade Simples
  • Sociedade Anônima
  • Sociedade em Nome Coletivo
  • Sociedade em Comandita Simples
  • Sociedade em Comandita por Ações
  • Sociedade de Propósito Específico
  • Cooperativa
  • Sociedade Limitada Unipessoal.

Esta última, apesar de se chamar “sociedade”, é um negócio individual.

É muito importante que o contador conheça todos os formatos para tomar sua decisão empreendedora ou assessorar corretamente os clientes.

Escolha quais atividades serão exercidas (CNAEs)

Em seguida, defina com cuidado quais serão as atividades da empresa. 

Seja criterioso na escolha e pense não apenas nas possibilidades, mas nos custos e limitações que a inclusão ou não de certos códigos CNAE (Classificação Nacional de Atividades Econômicas) vai proporcionar ao negócio.

Para contribuintes do Simples Nacional, por exemplo, há CNAEs proibidos de participar do regime tributário e outros menos vantajosos, com uma alíquota maior utilizada no cálculo de impostos.

Identifique o Regime Tributário

De acordo com a natureza jurídica da empresa, ela poderá se enquadrar em um dos seguintes regimes tributários:

Simples Nacional

Criado para facilitar o cálculo e recolhimento dos impostos, o Simples Nacional é um formato que pode ser utilizado pelos menores tipos de empresa, cujo faturamento não ultrapasse o valor de R$ 4,8 milhões ao ano.

Lucro Presumido

No Lucro Presumido, por sua vez, os tributos são calculados individualmente. 

Mas a conta é feita sobre um lucro estimado pela Receita Federal, considerando o faturamento de até R$ 78 milhões.

Lucro Real

O Lucro Real, por fim, é o sistema mais complexo de apuração tributária.

Embora seu cálculo considere o lucro efetivo registrado, há uma série de variáveis e outras obrigações relacionadas aos negócios de grande porte.

Assim, empresas com faturamento superior a R$ 78 milhões e aquelas do setor financeiro são obrigadas a optar pelo regime.

Faça o Contrato Social

Depois de o negócio ter seus detalhes definidos, é hora de colocar todas as informações sobre a natureza jurídica e atividades exercidas em um contrato social.

Afinal, esse é o documento que formaliza a empresa e deverá ser registrado.

Mas, atenção: se o registro for como EI, ele se chama Requerimento de Empresário; se for como Eireli, é o Ato Constitutivo.

Efetue o registro na Junta Comercial

O contrato social (ou equivalente) é registrado na Junta Comercial do estado.

Apenas o MEI é desobrigado dessa etapa, pois seu registro ocorre automaticamente quando faz o cadastro online no Portal do Empreendedor.

Para as outras empresas, essa é uma das etapas mais importantes.

É nela também que se obtém o CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas) a partir de um convênio entre Junta Comercial e Receita Federal.

Obtenha o alvará de funcionamento

Como próxima etapa, é necessário solicitar o alvará à prefeitura do município onde o negócio irá funcionar. 

Essa é a autorização da cidade para que o empreendimento possa operar na região.

Para tanto, dependendo da atividade exercida, podem ser exigidas novas licenças – não é algo que se aplique aos escritórios de contabilidade.

Faça a Inscrição Estadual/Municipal

Empresas contribuintes do ISS (Imposto Sobre Serviços) precisam de Inscrição Municipal junto à prefeitura. É a situação de escritórios contábeis.

Já aquelas que contribuem com o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), que é o caso de estabelecimentos comerciais e industriais, devem fazer a Inscrição Estadual junto à Secretaria da Fazenda em seu estado.

Como saber o porte de uma empresa?

Como saber o porte de uma empresa

Basicamente, o porte de uma empresa pode ser definido pelo seu volume de faturamento.

Não significa que você já deva arrecadar o valor previsto em receitas logo no primeiro ano.

O que a lei estabelece é um teto de faturamento. Ou seja, o valor máximo em receitas brutas.

Ultrapassando esse limite, a empresa muda de porte.

Acompanhe na tabela:

PorteFaturamento máximo
MEIAté R$ 81.000,00/ano
MicroempresaAté R$ 360.000,00/ano
Empresa de Pequeno PorteDe R$ 360.000,01 a R$ 4,8 milhões/ano
Outros formatosA partir de R$ 4,8 milhões/ano

Quanto tempo demora para abrir uma empresa?

Segundo dados do Ministério da Economia, um empreendedor consegue abrir negócio em 2 dias e 21 horas, em média, no Brasil.

Mas tudo depende, é claro, do tipo de empresa e dos procedimentos específicos de cada localidade.

Segundo o relatório Doing Business 2020, do Banco Mundial, nosso país ocupa a 138ª posição no indicador que avalia tempo, custo e burocracia envolvida na abertura de um negócio.

Quanto custa abrir uma empresa?

Não há como apontar com exatidão quanto custa abrir uma empresa no Brasil.

Afinal, como você viu, existem diferentes modalidades, com regimes jurídicos variados e com exigências que se aplicam especificamente a alguns deles.

A Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), estimou em pesquisa o custo médio em R$ 2.038. Porém, identificou também que ele pode variar até 274%, conforme o município.

Para o MEI, por exemplo, esse custo se aproxima de zero.

2 orientações estratégicas para abrir uma empresa

2 orientações estratégicas para abrir uma empresa

Agora, trago a você duas questões que são extremamente importantes para que seu novo negócio dê certo:

Levantamento de gastos

Faça uma projeção realista dos custos que você terá desde a abertura da empresa até ter as suas contas do dia a dia.

Capital inicial

Com base nesse orçamento estimado, calcule o capital inicial para abrir e manter o negócio por determinado tempo.

Erros que não devem ser cometidos ao abrir uma empresa

Fique de olho também nestes erros comuns que acontecem com quem ainda não sabe como abrir uma empresa:

Superestimar o faturamento

Estude bastante as possibilidades e seja realista com o dinheiro que pode entrar nos primeiros meses.

Falta de planejamento

Abrir um negócio sem planejamento é como viajar para um lugar desconhecido sem fazer um roteiro. 

Então, prepare-se e trilhe um caminho menos arriscado.

Problemas frequentes que acontecem na hora de abrir uma empresa

Alguns obstáculos são comuns para quem está iniciando uma empresa. 

Observe com atenção estes pontos:

Burocracia

São várias as etapas até a abertura do negócio. 

Mas não tem jeito: você precisa seguir o passo a passo para que tudo dê certo e a empresa possa operar de forma legal.

Erros contábeis

O famoso “jeitinho brasileiro” pode atrapalhar muito. 

Por isso, evite atalhos e siga as leis e normas.

Dicas Bônus da Patrimonium Thinking para você!

Agora, trago dicas práticas e rápidas, totalmente alinhadas ao mercado de contabilidade. 

Trabalhe a tributação do cliente

Ninguém gosta de pagar impostos, não é mesmo? 

Você, como profissional contábil, poderá fazer novos clientes encontrando oportunidades para reduzir o peso dos tributos sobre o negócio dele.

Isso se chama elisão fiscal (ou planejamento tributário).

Gere relacionamentos com seus clientes

Contador tem que levantar da cadeira e visitar o cliente pessoalmente.

Mais do que isso: você deve criar laços profundos de parceria com ele, a fim de gerar relações de longo prazo.

Invista em software

Automatize o que for possível no seu escritório, desafogando o operacional. 

Isso vai melhorar os resultados lá na frente.

Comece com o necessário

Se você só tem um espaço na sala da sua casa para abrir a empresa de contabilidade, comece assim mesmo. 

Dê o primeiro passo e seu negócio vai prosperar.

Conclusão

Saber como abrir uma empresa é apenas uma das primeiras etapas. 

Para que o seu escritório de contabilidade seja um sucesso, você também deve gerar um relacionamento próximo com sua clientela.

Para mais dicas como essas, continue com sua leitura pelo blog da Patrimonium Thinking.

E aqui vai uma última dica: garanta a sua inscrição no curso “Como tornar a contabilidade um negócio extremamente lucrativo” e comece agora a construir a carreira dos sonhos.

Aguardo por você!

Márcio Bento

Contador, CEO da Patrimonium Contabilidade, fundada em 2011. Já atendeu mais de 1.000 clientes em 23 estados, com 15 anos de experiência na área.

Criado e desenvolvido por Olah Comunicação Digital.