Partidas Dobradas: O que são, como funcionam e como aplicar

Partidas Dobradas: O que são, como funcionam e como aplicar

Partidas Dobradas o que sao como funciona como aplicar

Em dúvida sobre o método de partidas dobradas? 

De fato, o assunto causa confusão no âmbito da contabilidade e o motivo para isso pode ser atribuído ao senso comum a respeito de alguns conceitos.

Mas não se preocupe: partidas dobradas não são tão complicadas assim. 

Ao entender as razões, fica fácil seguir o raciocínio.

Estou falando sobre um método que é considerado um dos principais pilares da contabilidade moderna, difundido ainda na época da Idade Média. 

A ideia principal parte do princípio de que toda transação tem origem e destino. 

Debita-se em algum lugar, credita-se em outro. 

Quer saber como funciona? Então, me siga ao longo dos tópicos a seguir. 

O que é o método das partidas dobradas?

Partidas Dobradas o que é o metodo

O método das partidas dobradas é o principal modelo de escrituração que baliza todos os procedimentos de registros contábeis. 

Método significa caminho. Escrituração é o processo de registro sistemático de todos os fatos contábeis de uma organização. 

Pode até haver diferentes maneiras de se escriturar a contabilidade de uma empresa, mas todas serão sustentadas pelo método de partidas dobradas.

Mas o que vem a ser isso?

O pai da teoria das partidas dobradas, sobre o qual comentarei no tópico seguinte, chegou à conclusão de que, para todo crédito, deve haver um débito correspondente e vice-versa.

Se alguém deve alguma coisa, deve a outro alguém. Ou seja, não existem devedores sem credores. O contrário também é verdadeiro.

Em qualquer transação, portanto, o lançamento contábil precisa ocorrer em pelo menos duas contas, daí o termo dobrado. 

Um lançamento acontece na conta de origem dos recursos e o outro na conta destino (ou de aplicação).

Na linguagem contábil, a conta é a denominação técnica que identifica cada registro de movimentação. 

Serve para identificar elementos diversos, como o balanço patrimonial (ativo, passivo, patrimônio líquido) e os resultados de exercício (despesa e receita).

A seguir, explico os conceitos de débito e crédito e as diferenças de significados entre a linguagem contábil e a linguagem do senso comum.

Débito

Pelo método de partidas dobradas, débito é o destino de uma aplicação.

Uma empresa que comprou R$ 10.000,00 em estoques, por exemplo, tem a conta estoque debitada em R$ 10.000,00. 

Sim, isso mesmo. 

O significado de debitar, dentro da contabilidade, é diferente da percepção que temos do extrato bancário.

Debitar, aqui, não significa subtrair. Indica simplesmente a destinação de uma importância.

Crédito

Crédito, por outro lado, é a origem. Ou seja, de onde saiu o recurso ou importância. 

Vou usar o mesmo exemplo acima para facilitar o entendimento. 

Se a empresa gastou R$ 10.000,00 para repor o estoque, o dinheiro precisou sair de algum lugar, certo?

Vamos imaginar que seja do caixa. 

Nessa hipótese, a conta caixa foi creditada em R$ 10.000,00. Ou seja, foi a origem do recurso usado para comprar o estoque.

Você pode estar pensando: mas por que é tudo ao contrário do que vejo no meu extrato bancário?

Na verdade, o conceito de crédito e débito do extrato de sua conta corrente é estabelecido pela ótica do banco, por isso, a impressão de que está tudo invertido.

Como surgiu o método das partidas dobradas?

O método das partidas dobradas surgiu em Veneza, na Itália, ainda no século XV.

Conhecido também como Método Veneziano, foi difundido pelo frei Luca Pacioli, um ilustre matemático italiano, considerado o pai da contabilidade moderna.

Ele dedicou um capítulo à teoria no livro “Summa de Arithmetica, Geometria, Proportioni et Proportionalità”, em 1494.

Devido à eficiência da aplicação do método, desde então, as partidas dobradas foram adotadas pelos profissionais de contabilidade e são usadas até hoje. 

Qual é o objetivo das partidas dobradas?

Partidas Dobradas qual é o objetivo das

O objetivo do método das partidas dobradas é organizar as informações financeiras de uma empresa conforme critérios técnicos e objetivos.

O método é o caminho para se fazer os lançamentos dos fatos contábeis, eliminando margens para erros. 

Se para cada débito há um crédito correspondente e vice-versa, o valor total de cada conta precisa ser exatamente igual. 

Se os números não fecharem na vírgula, houve algum erro que precisa ser investigado e corrigido.

O grande objetivo das técnicas contábeis é produzir informações sobre os resultados e a situação patrimonial das empresas.

As informações, quando elaboradas seguindo métodos e procedimentos testados e aprovados, servem como base para a tomada de decisão assertiva dos administradores.

Partidas dobradas x Partidas simples: Quais são as diferenças?

Partidas Dobradas simples quais são as diferenças

O método de partidas dobradas, como vimos, tem esse nome porque uma mesma transação é lançada duas vezes. 

Para cada crédito, há um débito correspondente e vice-versa. 

Frei Luca Pacioli ressalta em seu livro que o modelo de escrituração se assemelha à teoria dos números positivos e negativos. 

Devido à sua eficiência, as partidas dobradas são usadas até hoje pela contabilidade moderna. 

O método de partida simples, por outro lado, é considerado ineficiente e incompleto. 

Pela partida simples, apenas uma operação é lançada: débito (D) ou crédito (C). Não há um lançamento correspondente. 

Por causa da omissão de alguns elementos, seja do patrimônio ou do resultado das empresas, a partida simples não é mais usada nos lançamentos contábeis.

Como funcionam as partidas dobradas?

Partidas Dobradas como funcionam

Existem algumas maneiras de lançar uma transação contábil pelo método das partidas dobradas. 

Em geral, cada transação contém duas entradas: uma de débito em uma conta e uma de crédito em outra. 

Mas existem outras fórmulas de escrituração. São elas:

  1. Uma débito; um crédito
  2. Um débito; vários créditos
  3. Vários débitos; um crédito
  4. Vários débitos; vários créditos.

Qualquer que seja a fórmula adotada, de acordo com as necessidades de cada escrituração, o resultado deve ser sempre igual. 

Os registros em cada conta costumam ser feitos usando o razonete ou “conta T”. 

Trata-se de um recurso que ajuda na compreensão da lógica dos lançamentos das partidas dobradas. 

Sobre a figura que se parece com um T escreve-se o nome da conta. 

Do lado esquerdo são lançados os débitos (D) – ou seja, o destino das aplicações.

E do lado esquerdo, os créditos (C), a origem das aplicações.

Já sabemos que o conceito de débito e crédito em contabilidade não tem a ver com adição ou subtração, como estamos acostumados a observar no extrato bancário. 

Aqui, débito ou crédito podem aumentar ou diminuir uma conta, dependendo de sua natureza: se é ativo ou passivo, por exemplo.

De acordo com os princípios do método das partidas dobradas, podemos afirmar as seguintes verdades no âmbito da contabilidade: 

  • Não existe débito sem crédito, nem crédito sem débito. Logo, o saldo devedor é igual ao saldo credor
  • No âmbito do balanço patrimonial, o ativo será sempre igual ao passivo somado ao patrimônio líquido.

A importância do método de partidas dobradas

As partidas dobradas são essenciais na organização financeira de uma empresa ao registrar todos os procedimentos contábeis, inclusive os lançamentos futuros. 

Salários a pagar ou dívida com fornecedores, por exemplo, são lançamentos feitos em contas específicas, que ajudam o gestor a saber quais são as obrigações da empresa. 

Por ser um método adotado internacionalmente, as partidas dobradas facilitam ainda a compreensão dos relatórios da empresa, tanto pelos stakeholders quanto pelos órgãos de fiscalização.

Como aplicar as partidas dobradas na prática? 

Partidas Dobradas como aplicar na pratica

Vamos usar um exemplo prático para facilitar o entendimento de como funcionam as partidas dobradas.

Até aqui você descobriu que toda transação contábil precisa ser lançada em pelo menos duas contas: uma para débito, outra para crédito. 

Isso é necessário para a correta identificação de devedor e credor. Afinal, não existem aplicações de recursos sem origem.

Imagine, então, uma empresa que adquiriu um veículo no valor de R$ 50.000,00. 

A frota de automóveis da empresa ganhou mais um carro, ou seja, a conta veículos é o destino da aplicação (débito).

Pelas partidas dobradas, é preciso também identificar de onde saíram os R$ 50.000,00 para comprar o carro. 

Afinal, não existe aplicação de recurso sem origem. 

Se o dinheiro usado foi retirado do caixa, a conta caixa será a origem dos recursos (crédito). 

Portanto, debita-se a conta veículos em R$ 50.000,00 (valor do carro) e credita-se a conta caixa em R$ 50.000,00. 

Observe que, no final das contas, ao comparar os saldos, o resultado será exatamente igual.

Aumentou de um lado, mas diminuiu do outro.

Conclusão

A percepção que temos de débito e crédito, em função da leitura que fazemos do extrato bancário, não ajuda muito na compreensão do método das partidas dobradas. 

Por causa desse senso comum, há certa confusão em assimilar os conceitos do ponto de vista contábil, principalmente nos primeiros contatos com a teoria. 

Mas como você pôde ver, não é nada complicado. Após entender o raciocínio, a prática se encarrega do resto. 

Seu papel, enquanto contador, é colocar isso em prática e assessorar o cliente.

A contabilidade, por meio de suas variadas técnicas, mede, interpreta e informa o patrimônio das empresas, bem como suas variações. 

São os dados fornecidos pela contabilidade que servem de base para o gestor tomar decisões a respeito do futuro do negócio

Gostou das dicas deste texto? Tenho outras para você.

Se quer aprender mais sobre o indispensável mundo da contabilidade, conheça meu curso “Como tornar a contabilidade um negócio extremamente lucrativo”.

Garanta agora mesmo a sua inscrição!

Márcio Bento

Contador, CEO da Patrimonium Contabilidade, fundada em 2011. Já atendeu mais de 1.000 clientes em 23 estados, com 15 anos de experiência na área.

Criado e desenvolvido por Olah Comunicação Digital.