Calcular salário proporcional: aprenda de forma simplificada

calcular salario proporcional aprenda de forma simplificada

Calcular salário proporcional é importante em variadas situações – e não precisa ser difícil.

Tudo o que você deve saber é qual o salário integral do funcionário, quantos dias foram trabalhados e quantos dias tem o mês correspondente.

Com essas informações em mãos, na sequência, é só considerar variáveis como faltas e horas extras para chegar ao valor final.

É dessa forma que você descobre quanto pagar ao colaborador que foi contratado, demitido ou afastado, por exemplo.

Quer ver como é simples calcular o salário proporcional na prática?

Continue lendo e acompanhe o passo a passo.

O que é salário proporcional?

O salário proporcional precisa ser calculado toda vez que o número de dias trabalhados no mês ficam abaixo do padrão de 30 dias. 

Isso acontece, principalmente, em momentos de admissão, demissão ou afastamento de colaboradores.

Só pra deixar claro: a legislação trabalhista determina que o mês comercial é sempre de 30 dias, independentemente se estamos falando de fevereiro, com seus 28 ou 29 dias, ou meses com 31 dias. 

Logo, o salário normal se baseia em 30 dias trabalhados, conforme diz o Art. 64 da CLT (Consolidação das Leis do Trabalho)

“O salário-hora normal, no caso de empregado mensalista, será obtido dividindo-se o salário mensal correspondente à duração do trabalho, a que se refere o art. 58, por 30 (trinta) vezes o número de horas dessa duração.”

Mas a lei também prevê o tipo de cálculo que deve ser feito quando o período trabalhado é inferior a 30 dias:

“Parágrafo único – Sendo o número de dias inferior a 30 (trinta), adotar-se-á para o cálculo, em lugar desse número, o de dias de trabalho por mês.”

Ou seja: o salário proporcional é calculado com base nos dias trabalhados no mês, ao contrário do salário integral, que é calculado com base no mês comercial. 

Importância de calcular a jornada de trabalho

A jornada de trabalho corresponde a todo o tempo em que um funcionário permanece à disposição da empresa. 

Logo, é fundamental que o empresário tenha controle sobre as horas trabalhadas e calcule minuciosamente a jornada cumprida.

Assim, é possível remunerar os colaboradores de forma justa de acordo com o contrato de trabalho, cumprir a legislação trabalhista e manter a transparência no negócio. 

No caso do salário proporcional, o cálculo por dias trabalhados é feito em caráter excepcional, o que demanda atenção em dobro dos profissionais responsáveis.

Por isso, todo profissional de departamento pessoal ou contador precisa dominar os cálculos da jornada de trabalho e da folha de pagamento. 

Além de ser uma demanda frequente das empresas, é uma das áreas com legislação mais complexa, pois é preciso ter conhecimento para atender às normas e garantir a regularidade das relações de trabalho.

Quando se calcula o salário proporcional? 4 situações

calcular salario proporcional como se calcula 4 situacoes

Existem quatro principais situações em que o cálculo do salário proporcional é indispensável.

Vamos detalhar cada uma delas para você. 

Demissão

A não ser que o funcionário seja demitido exatamente no dia do pagamento, sempre é necessário calcular o salário proporcional no momento do desligamento da empresa.

Nesse caso, o ex-colaborador tem direito a receber os dias trabalhados desde o último pagamento – o chamado saldo de salário – e também as férias vencidas, décimo terceiro proporcional, férias proporcionais e banco de horas. 

Quando a empresa demite sem justa causa, é incluído na conta o FGTS + multa de 40% e seguro-desemprego. 

Admissão

A admissão de novos colaboradores também exige que o salário proporcional seja calculado.

Por exemplo, se o funcionário entra no meio de março e recebe seu primeiro salário no quinto dia útil de abril, deverá ganhar apenas pelos dias trabalhados até então, e não o valor integral. 

Início do período de afastamento

Quando um funcionário é afastado do trabalho, deve receber o salário proporcional aos dias trabalhados até o início do afastamento.

Isso ocorre no caso de afastamento por doença ou acidente.

Nessas situações, a empresa é obrigada a custear os primeiros 15 dias de salário.

Se o afastamento se prolongar, o INSS assume o pagamento do benefício. 

Após o afastamento

Quando um funcionário retorna do afastamento, também é preciso calcular o salário proporcional de acordo com os dias trabalhados no mês.

Como vimos anteriormente, isso acontece quando o período é superior aos 15 dias custeados pela empresa. 

Como calcular o salário proporcional?

Você deve estar ansioso para aprender como calcular o salário proporcional, certo?

Então, vamos aos cálculos! 

Cálculo de salário proporcional em diferentes meses

Ao contrário do salário integral, o salário proporcional deve ser calculado com base no número de dias do mês atual, e não levando em conta o mês comercial de 30 dias.

Para fazer o cálculo, basta dividir o salário pelos dias do mês e multiplicar pelos dias efetivamente trabalhados, utilizando a fórmula:

  • Salário proporcional = salário integral / dias do mês x dias trabalhados.

Por exemplo, vamos supor que um funcionário tenha sido contratado no dia 12 de fevereiro com um salário de R$ 2 mil.

Nesse caso, teremos que dividir o salário pelos 28 dias do mês e multiplicar pelos dias trabalhados (16), da seguinte forma:

  • Salário proporcional = R$ 2.000,00 / 28 x 16
  • Salário proporcional = R$ 71,42 x 16
  • Salário proporcional = R$ 1.142,72.

Logo, o funcionário deve receber um primeiro salário proporcional de R$ 1.142,72. 

Agora vamos a outro exemplo: um colaborador que foi demitido no dia 25 de julho e ganha R$ 3.500,00.

Nesse caso, o cálculo fica assim:

  • Salário proporcional = R$ 3.500,00 / 31 x 25
  • Salário proporcional = R$ 112,90 x 25 
  • Salário proporcional = R$ 2.822,50.

Logo, o saldo de salário a ser pago no acerto de contas com o colaborador será de R$ 2.822,50. 

Cálculo de salário proporcional com variáveis

Na hora de calcular o salário proporcional, podem surgir variáveis importantes, como horas extras e faltas. 

Veja como calcular cada uma delas. 

Salário proporcional com horas extras

Vamos supor que um colaborador tenha sido contratado no dia 15 de março com um salário de R$ 2.500,00 e tenha feito 8 horas extras nesse período. 

A hora extra deve ser remunerada com adicional de no mínimo 50% da hora normal.

Nesse caso, precisamos descobrir primeiro o valor da hora do funcionário, fazendo o seguinte cálculo:

  • Valor da hora = salário integral / 220 horas (padrão de carga horária mensal CLT)
  • Valor da hora = R$ 2.500,00 / 220
  • Valor da hora = R$ 11,36.

Se a hora normal do funcionário vale R$ 11,36, a hora extra é calculada com o acréscimo de 50%:

  • Hora extra = valor da hora normal + 50% x valor da hora normal
  • Hora extra = R$ 11,36 + 50% x R$ 11,36
  • Hora extra = R$ 11,36 + R$ 5,68
  • Hora extra = R$ 17,04.

Logo, o colaborador tem direito a receber R$ 136,32 (8 x R$ 17,04) pelas 8 horas extras realizadas.

Agora é só calcular o salário proporcional e somar o valor das horas extras:

  • Salário proporcional = R$ 2.500,00 / 31 x 16 + R$ 136,32
  • Salário proporcional = R$ 80,64 x 16 + R$ 136,32
  • Salário proporcional = R$ 1.290,24 + R$ 136,32
  • Salário proporcional = R$ 1,426,56.

Ao todo, esse profissional deverá receber R$ 1.426,56 pelos 16 dias trabalhados e 8 horas extras.

Salário proporcional com faltas

Agora, vamos fazer o mesmo cálculo de salário proporcional, só que descontando faltas. 

Imagine um funcionário que foi demitido em 20 de abril e ganhava um salário de R$ 3 mil, mas teve 2 faltas sem justificativa no período. 

Nesse caso, será preciso descontar os dias de ausência do acerto final. 

Para isso, basta fazer o cálculo do salário por dia de trabalho no mês correspondente:

  • Valor do dia de trabalho = R$ 3,000 / 30
  • Valor do dia de trabalho = R$ 100,00.

Como foram dois dias ausentes, serão descontados R$ 200,00 do salário proporcional final do funcionário, seguindo o cálculo:

  • Salário proporcional = R$ 3.000,00 / 30 x 20 – R$ 200,00
  • Salário proporcional = R$ 2.000,00 – R$ 200,00
  • Salário proporcional = R$ 1.800,00.

Logo, a empresa deve R$ 1.800,00 de saldo de salário para o funcionário, já com as faltas descontadas.

Exemplo de planilha para cálculo de dias trabalhados

calcular salario proporcional exemplo de planilha para calculo de dias trabalhos

Para controlar a jornada de trabalho, vale a pena ter uma planilha completa com informações como horas trabalhadas, horas faltantes, horas extras, horas noturnas, feriados, entre outras variáveis. 

Você deve estar imaginando como será trabalhoso criar um arquivo como esse do zero, certo? 

Por sorte, alguns modelos de planilhas para cálculo de dias trabalhados são compartilhados gratuitamente na internet.

Um bom exemplo é a planilha divulgada no site Aprender Excel, que pode ser baixada neste link e acessada pelo Google Planilhas. 

Ela já vem com controle de ponto e fórmulas prontas para calcular as horas e dias trabalhados, incluindo banco de horas e adicional noturno. 

Então, se você quer poupar trabalho, comece usando um modelo como esse para dominar o cálculo de salário proporcional.

Conclusão

Esperamos que você tenha aprendido a calcular o salário proporcional de funcionários. 

Afinal, será inevitável se deparar com um desses cálculos na sua carreira de contabilidade, e você deve estar pronto para oferecer soluções e resultados coerentes para os clientes.

Gostou de aprender mais sobre o salário proporcional e jornada de trabalho?

Então, continue acompanhando os conteúdos da Patrimonium Thinking e conte conosco para se tornar um contador de sucesso.

Márcio Bento

Contador, CEO da Patrimonium Contabilidade, fundada em 2011. Já atendeu mais de 1.000 clientes em 23 estados, com 15 anos de experiência na área.

Criado e desenvolvido por Olah Comunicação Digital.